Porcelanosa. Sustentabilidade e meio ambiente

Certificações ambientais de processo.top

ISO 14001.

ISO 14001

No quadro de uma legislação cada vez mais exigente, a Porcelanosa demonstra o seu sólido compromisso ambiental adotando um sistema de gestão certificado pela norma ISO 14001, incluindo todo o processo, do design à venda do produto final.

Transmite-se desta maneira a nossa política de respeito e preocupação pelo meio ambiente.

ISO 50001.

ISO 50001

A Porcelanosa implantou um sistema de gestão energética de acordo com a norma ISO 50001. Tratase da ferramenta que ajuda a empresa a reduzir os consumos de energia e, consequentemente, a minimizar as emissões de gases de efeito estufa.

Através da melhoria do desempenho energético visa-se fomentar a máxima eficiência em todos os nossos processos, referendando assim o claro compromisso ambiental adotado desde os inícios.

Redução da pegada de carbono.

Redução da pegada de carbono

O cuidado do meio envolvente e preservação do meio ambiente foram sempre uma das máximas prioridades da PORCELANOSA desde o momento da sua fundação. Renovando o seu compromisso com a sustentabilidade, a firma tornou-se na primeira empresa cerâmica que conseguiu a certificação de redução da sua pegada de carbono, expedida pelo Ministério do Meio Ambiente.

A pegada de carbono reflete a totalidade dos gases de efeito estufa (GEE) emitidos por efeito direito ou indireto para a atmosfera, pela empresa para o meio ambiente, por causa da realização dos seus processos produtivos e desempenho da atividade (consumo de gás natural, eletricidade, combustíveis, refrigerantes...)

Com a medição da pegada de carbono permite-se, por um lado, identificar todas as fontes de emissão de gases de efeito estufa, e por outro, encontrar medidas efetivas de redução do índice de CO2 emitido.

Para conseguir a certificação da pegada de carbono a Porcelanosa foi submetida a um exaustivo estudo das diversas fontes de emissão desde o ano 2011, através do qual se avaliza uma redução média do índice de emissão kg CO2/m² de 6,9% no triénio 20122014. A verificação foi levada a cabo através de um organismo independente e aprovada pelo Ministério do Meio Ambiente.

Após completar o estudo da sua pegada de carbono, a Porcelanosa, empresa pioneira em compromisso ecológico e minimização do impacto sobre o meio ambiente, torna-se na primeira empresa cerâmica a conseguir esta certificação ambiental, ao verse materializada uma redução efetiva das emissões derivadas dos seus processos produtivos por unidade de produção neste período de tempo.

Ações. Ecotech, equilíbrio ecológico Porcelanosa.top

ecotech equilibrio ecológico

Atmosfera.

O desenvolvimento sustentável está marcado na filosofia da Porcelanosa como referência constante, independentemente da magnitude do projeto a desenvolver.

A qualidade do ar nas instalações de Vilareal, única fábrica em que a Porcelanosa confeciona os seus produtos, não deve verse alterada pelo desempenho da atividade produtiva. A Porcelanosa implantou imensas medidas encaminhadas para a redução do impacto ambiental, medidas dirigidas para a consecução de uma atmosfera limpa e para a consecução dos compromissos adquiridos num âmbito global.

  • Todas as correntes de aspiração do pó ambiental contam com sistemas de filtração que retêm as partículas no interior e permitem emitir ar limpo para o exterior. O pó recolhido reutiliza-se dentro do mesmo processo produtivo para formar parte de um novo ladrilho.
  • As instalações produtivas e ruas estão 100% alcatroadas para a minimização do desprendimento de pó na trasfega de matérias-primas. O armazenamento de matérias-primas realiza-se em silos cobertos para reduzir a perda de material pelo vento ou pela chuva.
  • Nos últimos dez anos, a preocupação pela minimização do consumo energético na Porcelanosa conseguiu reduzir o consumo de gás 20% e o consumo elétrico 13%, com a consequente redução de emissões de CO2 associadas, contribuindo desta maneira para a consecução do compromisso com o protocolo de Quioto.
  • Os processos de reutilização de calor são comuns em várias fases do processo, redirecionando as correntes de gases quentes para outras fases do processo com necessidades térmicas específicas, conseguindo deste modo minimizar as emissões e, ao mesmo tempo, reduzir o consumo energético.

Eficiência energética e compromisso com o protocolo de Quioto.

Combater os efeitos da mudança climática é um compromisso firme para a Porcelanosa. A redução de emissões de CO2, objetivo prioritário para o cumprimento do protocolo de Quioto, pressupôs a implantação de melhorias tecnológicas pensadas para atingir a máxima eficiência energética que possibilite a sustentabilidade ambiental. Os sistemas industriais instaurados foram concebidos para reduzir ao máximo o consumo energético, empregando para esse fim as melhores técnicas disponíveis. O Ministério do Meio Ambiente certificou a redução da pegada de carbono da Porcelanosa (kg CO2 emitidos/m² produzido) 20% nos últimos anos.

Na Porcelanosa 33% da energia consumida procede da sua central de cogeração, isto é, produzse internamente. Além disso, o ar quente produzido emprega-se para secar a barbotina e posteriormente obter o pó atomizado, base para a prensagem. A comissão nacional da energia certifica que a energia produzida pela Porcelanosa na sua central de cogeração de alta eficiência é considerada energia verde.

Entre as medidas implantadas para a poupança energética, destacam:

  • Instalação de bicos de alta eficiência e sistemas de recuperação de calor nos fornos.
  • Inclusão de painéis translúcidos nos telhados dos pavilhões produtivos, evitando a utilização da iluminação artificial durante o período diurno.
  • Implantação da tecnologia LED como sistema de iluminação.
  • Generalização da utilização do transporte com veículos elétricos nas instalações da Porcelanosa.

Água.

A eficiente e responsável utilização de recursos hídricos obriga a implantar múltiplos sistemas de tratamento e reaproveitamento. A Porcelanosa implantou diversas medidas que possibilitaram a valorização e a reciclagem de toda a água dedicada à utilização industrial.

Com este fim, e movida pela consecução da descarga industrial zero, a companhia conta atualmente com cinco centrais de tratamento nas suas instalações. Tanto a água como os lodos resultantes são reaproveitados no processo produtivo. Toda a água utilizada na moagem via húmida é água reciclada.

Resíduos.

100% dos resíduos procedentes da produção de ladrilhos cerâmicos da Porcelanosa são reincorporados de novo ao processo, mediante o adequado reprocessamento e adequação dos mesmos.

Os lodos procedentes das 5 estações de tratamento da empresa também são reutilizados no processo produtivo.

A melhor exemplificação da filosofia de Porcelanosa neste sentido resume-se na produção da série STON-KER® Ecologic, ladrilhos cerâmicos com um conteúdo em material reciclado superior a 95%, conteúdo em reciclado certificado por terceira parte.

Ecodesign.

A análise de um produto desde a sua base, bem como a função que o mesmo vai ter depois de instalado, é crucial para poder definir ações que possam reduzir a sua carga ambiental.

Na Porcelanosa levam-se a cabo sistematicamente ações encaminhadas para a redução do potencial contaminante dos nossos produtos. Entre outras:

  • Os esmaltes utilizados não possuem metais pesados, tais como chumbo ou cádmio. Desta maneira, a superfície cerâmica comporta-se como um vidro totalmente inerte. Os valores de emissão de metais pesados dos ladrilhos Porcelanosa estão muito abaixo dos valores estipulados inclusive para as peças cerâmicas em contacto com alimentos.
  • As embalagens utilizadas fabricam-se com uma percentagem em material reciclado superior a 70%, além de uma relação peso de embalagem vs. peso de produto muito baixa.
  • A Porcelanosa dispõe de matérias-primas de altas prestações em minas perto das instalações de Vilareal, minimizando o impacto ambiental do transporte na fabricação de produtos concretos. Os ladrilhos de revestimento porosos (série Monker®) fabricam-se com argilas extraídas num raio inferior a 150 km do ponto de fabricação
  • Os ladrilhos cerâmicos da Porcelanosa baseiamse em produtos minerais de natureza inorgânica, sem tratamentos posteriores à cozedura, por isso considerase que não emitem compostos orgânicos voláteis. Além disso, sofrem um tratamento térmico a temperaturas entre 1.150 e 1.200°C durante um ciclo de uns 60 minutos. O produto acabado não emite por isso compostos perigosos.
  • Todos os produtos cerâmicos comercializados pela Porcelanosa contêm diversas percentagens de material reciclado. Todos os ladrilhos defeituosos criados durante a produção, quer anteriores quer posteriores à cozedura são reintroduzidos como uma matéria-prima mais à pasta base. A água utilizada na moagem é também água reciclada. As percentagens mínimas de material reciclado de pré-consumo dos diversos produtos são as seguintes:
    • Ladrilhos de revestimento poroso (Monker®) 20% material reciclado.
    • Ladrilhos de grés (pavimentos...) 10% material reciclado.
    • Ladrilhos de porcelânico (PAR-KER®, STON-KER®, pavimentos, fachadas...) 10% material reciclado.
    • STON-KER® Ecologic, 95% material reciclado (certificado por ISO 14021).
    • O conteúdo em material reciclado de pós-consumo é 0% em todos os casos.

Certificações ambientais de produto.top

Declaração ambiental de produto da construção.

DAPc

Todos os produtos da Porcelanosa contam com a declaração ambiental de produtos da construção (DAPc) ou ecoetiquetagem de tipo III, de acordo com as normas ISO 14025 e UNE EN 15804, declaração verificada e certificada por terceira parte.

Tratase de uma análise do ciclo de vida do produto desde que nasce (extração de matérias-primas), até que morre (retirada de resíduos após o final da sua vida útil), passando pelas etapas de fabricação, distribuição e manutenção (Cradle to grave).

A análise do ciclo de vida (ACV) é uma ferramenta para os agentes que intervêm na tomada de decisão em qualquer edificação, pois utiliza-se para avaliar o impacto potencial sobre o ambiente de um produto, processo ou atividade ao longo de toda a sua vida, mediante a quantificação dos recursos utilizados em todas as etapas do processo e as emissões produzidas como consequência do mesmo, por exemplo, analisam-se “entradas” como energia consumida, matérias-primas utilizadas, água requerida ou “saídas” como as emissões ambientais para o ar, água e solo ou resíduos perigosos e não perigosos associados ao produto.

Os produtos da Porcelanosa contam com a estimativa do impacto ambiental produzido ao longo do seu ciclo de vida e pode-se comparar por isso com qualquer família de produtos envolvida na edificação.

Etiqueta Ecológica Europeia (Ecolabel).

Ecolabel

Todos os produtos pertencentes à série STON-KER® estão certificados pela Ecolabel. Tratase de uma certificação que pretende distinguir os produtos que respeitam mais o meio ambiente.

A etiqueta concede-se aos produtos que cumprem a mais estrita regulamentação europeia relativamente à eficácia do produto e aos critérios ecológicos do mesmo e dos seus componentes.

Por isso a Etiqueta Ecológica da UE garante que os modelos da série STON-KER® cumprem uns estritos critérios ambientais e certifica que o produto foi fabricado e comercializado com um impacto ambiental menor que outros produtos da sua mesma categoria.

ISO 14021: STON-KER® Ecologic. Conteúdo em material reciclado superior a 95%.

STON-KER Ecologic

Na série STON-KER® Ecologic confluem todas as diretrizes desenvolvidas pela Porcelanosa na vertente ambiental.

STON-KER® Ecologic são ladrilhos de grés porcelânico formados com atomização proveniente do aproveitamento dos resíduos sólidos cerâmicos produzidos durante o processo de produção (barro cru mais pó de aspiração recuperado dos sistemas de tratamento), com um conteúdo em material reciclado de pré-consumo superior a 95% em massa, compatível com o esquema de autodeclaração ambiental ou ecoetiqueta tipo II segundo UNE EN 14021:1999.

Consegue-se um produto ótimo em características técnicas, utilizando como matérias-primas resíduos do processo, empregando para a mistura só água reciclada e eliminando etapas com uma carga contaminante muito importante, como o transporte e a moagem.

STON-KER® Ecologic conta com um estudo de pegada de carbono (Carbon Footprint,) segundo requisitos do referencial britânico PAS 2050 (Cradle to gate)

Quantifica-se desta maneira a quantidade de emissões de gases de efeito estufa, medidas em emissões de CO2 equivalente, que se libertam para a atmosfera devido ao processo de fabricação e distribuição da série STON-KER® Ecologic.

Proporcionase deste modo informação muito válida aos responsáveis de projetos. Esta informação pode resultar fundamental na tomada de decisão final, pois pode-se comparar o impacto ambiental de vários produtos alternativos.

A fabricação de STON-KER® Ecologic na Porcelanosa pressupõe um potencial de aquecimento global inferior em 40% a um produto de similar categoria, confecionado através do processo de fabricação convencional nas nossas instalações.

Contributo dos materiais Porcelanosa para os projetos certificados pelos principais referenciais de edificação sustentável: Certificação de Edifícios LEED, BREEAN, VERDE.top

USGBC BREEAM VERDE

Tanto a certificação LEED, como a BREEAM e a VERDE são certificações de edifício sustentável, e não de produto. A utilização de produtos Porcelanosa pode contribuir para a consecução da certificação do edifício num determinado nível e para a melhoria da avaliação, em comparação com outros materiais alternativos.

Os diferentes referenciais (LEED, BREEAM e VERDE) outorgam, através de uma verificação por terceira parte, a certificação de que o edifício se concebeu e construiu utilizando estratégias para melhorar nos aspetos ambientais mais significativos: poupança de energia, consumo de água eficiente, redução das emissões de CO2, melhorias na qualidade do ambiente interior do edifício, utilização de materiais reciclados e ecoetiquetados (DAPc, Ecolabel, pegada de carbono...), emprego de produtos próximos ao edifício para minimizar o impacto do transporte...

A PORCELANOSA concebe os seus produtos para ajudar o arquiteto a conseguir os créditos que estabelece o standard e facilitar assim a escolha dos materiais e equipamentos que vão fazer parte dos seus projetos.

Nos termos da qualificação obtida, o edifício enquadra-se num nível de certificado em função do referencial, por exemplo:

  • LEED, do básico ao platina, passando pelos escalões prata e ouro.
  • BREEAM, do nível aprovado até excecional, com níveis intermédios entre os mesmos.
  • VERDE, com o certificado uma folha até ao certificado de cinco folhas.

Os produtos da Porcelanosa, em função da sua utilização no edifício, são compatíveis para a obtenção de pontos LEED, BREEAM ou VERDE em várias secções:

  • Conteúdo em material reciclado.
  • Certificações ambientais (ecoetiquetas).
  • Fácil manutenção, evitando a utilização de produtos químicos agressivos.
  • Comportamento energético (cores claras com índices de reflexão solar (SRI) altos em zonas cálidas em fachada e também em interiores para minimizar o consumo energético).
  • Consumo de água. Devido à sua superfície impermeável, se se empregam em terraços, tetos ou fachadas para recolher a água da chuva. Também devido à pouca manutenção que requerem, necessita-se de menor quantidade de água para a sua manutenção.
  • Materiais regionais tanto na extração de matérias-primas para a produção, como na expedição, em projetos num raio perto do lugar de fabricação.

Segurança.top

Marcação CE ladrilhos cerâmicos. Segurança para o utilizador.

Marcado CE

A marcação CE não é uma marca de qualidade, mas a garantia do cumprimento de umas garantias de segurança necessárias para comercializar o produto. Todos os ladrilhos cerâmicos que circularem pela União Europeia devem cumprir os requisitos da marcação CE, independentemente da qualidade do ladrilho.

O regulamento europeu de produtos da construção exige que as obras de construção se projetem e executem de modo a não comprometerem a segurança das pessoas, dos animais domésticos e dos bens, nem agredirem o meio ambiente.

Os ladrilhos cerâmicos da Porcelanosa dispõem de uma declaração de prestações (antes declaração em conformidade) relativamente a requisitos de segurança, disponível para todos os clientes da União Europeia que o solicitarem. Nessa declaração aparece informação relacionada com parâmetros de segurança fundamentais no que respeita ao comportamento do sistema (resistência ao fogo, resistência mecânica, resistência ao deslizamento, emissão de metais pesados, parâmetros de adesão com diversas colas, durabilidade...), na embalagem inclui-se informação abreviada, com o logótipo da marcação CE. Junto à carga, com o resto da documentação, inclui-se o documento comercial com informação adicional em relação à marcação CE da mercadoria.

Existem tantas declarações de prestações como tipologias de produto se fabricam (porcelânico pavimentos e paredes STON-KER®, PAR-KER®...), porcelânico exclusivo fachadas, grés pavimentos e paredes interiores, revestimento de paredes interiores (Monker®)

Instruções de manipulação e segurança para ladrilhos cerâmicos (ficha de dados de segurança genérica).

Existem instruções de manipulação e dados de segurança genéricos para ladrilhos cerâmicos, considerados como material não perigoso, editadas pela Associação Espanhola de Fabricantes de Ladrilhos Cerâmicos (ASCER) e pelo Instituto de Tecnologia Cerâmica (ITC).

Instrucciones de manipulación y seguridad para baldosas cerámicas

Porcelanosa. Operador económico autorizado. Segurança e agilidade logística.

AEO

A Porcelanosa S.A. comercializa ladrilhos esmaltados, bem em pasta de porcelânico, grés ou revestimento poroso.

As rubricas pautais são:

  • Ladrilhos esmaltados de grés e porcelânico: 6908 90 91.
  • Ladrilhos esmaltados de revestimento poroso (Monker®): 6908 90 93.

PORCELANOSA Grupo possui os Certificados de Operador Económico Autorizado (OEA) na sua versão mais completa, de Simplificações Alfandegárias, Proteção e Segurança (OEAF). O Certificado foi outorgado a cada uma das empresas do Grupo PORCELANOSA (PORCELANOSA, VENIS, GAMADECOR, SYSTEMPOOL, L’ANTIC COLONIAL, BUTECH, NOKEN e URBATEK).

Ao ter a máxima Certificação OEA e assim um status de operador de confiança perante as alfândegas, cumprindo os controlos mais estritos em matéria de segurança nas instalações e nas operações logísticas proporciona a todos os nossos clientes e colaboradores um grande valor acrescentado a toda a cadeia de fornecimento.

PRINCES
Please select your language/country.
Welcome to PORCELANOSA. You're entering our International site at Portuguese language. If you wish, you can change the language/country.

Keep up to date on all the latest happenings at PORCELANOSA by subscribing to our newsletter.

PORCELANOSA uses cookies to store settings and offer additional features to our users. By continuing your visit to porcelanosa.com, we'll assume you agree to our use of cookies